segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Uma nova etapa

A vida do meu primogênito Pedro e a minha vida, a partir de hoje, entraram em uma nova etapa.

Amanhã é o primeiro dia de aula dele, definitivamente, não fiquei criando expectativas como no ano passado, que o coloquei em escola municipal e no meio do ano e o tirei, por causa da tal Gripe A.

Hoje, eu sinto ele mais independente, já sabe um pouco se virar sozinho.

Ano passado, confesso, que quando o deixei na escola, eu voltei pra casa chorando e orando, com o coração na mão, e ele nem ligou, tirou de letra e já no terceiro dia me mandava embora e que era pra eu voltar só depois pra busca-lo.

Acho legal isso nele, a confiança que ele tem em mim, de saber que eu vou estar lá para busca-lo, pois, reparei que algumas crianças choravam por insegurança, sei lá.

primeiro-dia-aula

Me lembro da vez, quando eu ainda tinha uma bomboniere no centro da cidade, que tentei colocar os meus dois bebês em uma creche publica, o Pedro na época com 3 anos e o Benjamim estava para completar 2 anos.

Me senti tão mal naquele dia, como se eu fosse a pior mãe do mundo, chorei as intermináveis 8 horas em que eles ficaram longe de mim, com pessoas desconhecidas, completamente indefesos ( só de me lembrar sinto meu coração apertadinho rsrs).

Quando cheguei na creche para buscá-los, o Pedro me olhou de um jeito, como se eu tivesse o abandonado, com um biquinho de choro, que me cortou o coração, neste dia ele não comeu nada, só não chorou, e quando me viu foi como se tirasse uma rolhinha dos olhos dele, desaguou, e eu quase me morro de tanto arrependimento rsrs.

O Benjamim, por ser menor ficou melhor, se distraiu mais e comeu normal.

Ainda os levei no dia seguinte, mas me deu uma angustia tão grande, não conseguia parar de chorar, atendia os clientes com os olhos cheios de lágrimas, e assim que meu maridinho (o qual insistiu para que os colocasse na creche) chegou do trabalho, o pedi para que fossemos buscar os meu tesouros, os busquei e agarrei tanto aqueles dois seres tão pequenos que são a minha vida, e foi quando decidi que não queria mais a bomboniere, que iria vende-lá e cuidar dos meus fofos 24 horas.

Amanhã será o inicio de uma nova fase, meu bebê está virando um menino, agora ele vai para uma escolinha particular, e de pessoas que eu conheço e tenho confiança, me sinto muito mais tranquila assim, sei que ele será muito bem cuidado e vai adorar a escolinha nova.

O Benjamim, ainda não vai para escolinha, ainda não é necessário e acho que não estou preparada para isso emocionalmente.

Por enquanto, continuarei cuidando das minhas crias integralmente, e ando tão confusa se quero ou não deixar a vida de mãe 24 hrs, mas isso é assunto para outro post.

Agora a nova fase, vem cheia de novidades, uma rotina mais regrada, como horários mais rígidos quanto a almoço e hora de dormir.

Espero me sair bem, apesar de estar um pouco preocupada com o levar e buscar, por causa das chuvas, pois a bonita aqui rsrs, ainda não tirou a carteira de habilitação e acho que maridinho vai se recusar a pagar perua, pois a escola não é tão longe assim.

E que venha o período escolar.

Depois conto como o Pedrinho e eu, nos saímos, no seu primeiro dia de aula.

Tenha uma semana maravilhosa.

Beijocas

6 comentários:

Luciana Klopper disse...

Pode ter certeza, que pela ótima mãe que vc demonstra ser, vai se sair maravilhosamente bem!
A escola é muito importante na vida deles, é a oportunidade de voar que damos aos nossos filhotes, por mais que doa é necessário!

Tatiane Garcia disse...

Pam...desejo-lhe sorte nessa nova etapa...imagino que desgarrar da cria deve doer né...é mesmo um novo ciclo que se inicia!!!
Boa sorte menina !!!

meus instantes e momentos disse...

bonito blog...
gostei daqui.
Tenha uma semana feliz.
maurizio

Elen disse...

Vim retribuir a visita e o comentário e posso dizer q de cara me indentifiquei com o blog...

Eu tenho os momentos q quero parar de trabalhar pra ficar em casa cuidando da filhota, mas...

E tenho certeza q vc vai se dar nessa nova fase...

Abraços cheirosos

Paulo Tamburro disse...

Este belíssimo texto é o que eu chamo de: "Mulher-Mãe".

Em geral só vocês conseguem dar tanta imaginação poética e sensibilidade afetiva a momentos tão triviais do cotidino.

Sabe a razão?

Porque ser mulher já uma dádiva e ser mãe-responsável uma benção divina.


Quando se juntam estas duas virtudes, só podemos esperar o melhor.

Você nos deu o melhor.

Um abração carioca.

Tri disse...

Oi Flor,
voltei... fui lá ver o post. e vi meu nome lá! AMEI...
Sobre esse post... vc sabe eu não sou mãe... já quis muito ser... mas com o tempo foi diminuindo a vontade... e depois que perdi meu irmão... acho que entrei numa de medo total de ser mãe... contanto que não penso muito apesar de gostar de criança... E claro eu fui meio-mãe-irmã-melhor-amiga do meu irmão e essa parada de escola... eu imagino que me sentiria igual a você. Não fico recriminando meus pais (eu fui para creche desde bem antes de 1 ano) e caraca troquei de colégio muuuitas vezes... mas hoje... se eu tivesse filho ia fazer como vc. Só de imaginar o que você passou dá um nó na garganta... acho que a criança e a mãe tem que respeitar o seu tempo. E o seu bonitão agora tá grande e vai coomeçar uma das melhores fases da vida dele e vai ter você sempre para apoiar, dividir, conversar... vai dar tudo certo! risos
beijo beijo
Tri