sábado, 7 de novembro de 2009

Doação de Medula óssea

Há dias tenho procurado saber mais sobre a doação de medula óssea, tinha muitas duvidas, sobre como é feito o transplante, como é o procedimento cirúrgico, qual tipo de anestesia é usado.

Achei nesse site, que praticamente tirou todas as minhas duvidas.

 

Como funciona o cadastramento?


Em um cadastro para doação de medula óssea, você passará por uma coleta de 5 ml de sangue para o teste de compatibilidade e será preenchido um cadastro com seus dados que vão para um banco nacional de doadores. O cadastramento é um processo muito simples e o voluntário deve ter entre 18 e 55 anos. Caso surja um receptor compatível, posteriormente o voluntário é chamado para novos exames e, se confirmar a compatibilidade, o voluntário é consultado a decidir acerca da doação. A doação praticamente não oferece riscos para o doador, pois são retirados menos de 10% da medula óssea através de punção na região da bacia, sob efeito de anestesia e no dia seguinte, o doador é liberado para retornar às suas atividades. De qualquer forma, se cadastrar significa dar oportunidade de alguém sair da fila de espera pela doação, é muito simples oferecer esperança.

 

O que é transplante de medula óssea?


É um tipo de tratamento proposto para algumas doenças malignas que afetam as células do sangue. Ele consiste na substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais de medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula. O transplante pode ser autogênico, quando a medula ou as células precursoras de medula óssea provêm do próprio indivíduo transplantado (receptor). Ele é dito alogênico, quando a medula ou as células provêm de um outro indivíduo (doador). O transplante também pode ser feito a partir de células precursoras de medula óssea obtidas do sangue circulante de um doador ou do sangue de cordão umbilical.

 

Como é feita a doação de medula óssea?


Existem duas formas de doar as células progenitoras ou células-mãe da medula óssea. Uma relacionada à coleta das células diretamente de dentro da medula óssea (nos ossos da bacia) e a outra por filtração de células-mãe que passam pelas veias (aférese).

1) A punção da medula é realizada com agulha especial e seringa na região da bacia . Retira-se uma quantidade de medula (tutano do osso) equivalente à uma bolsa de sangue. Para que o doador não sinta dor, é realizada anestesia e o procedimento dura em média 60 minutos. A sensação do doador é de média intensidade e permanece em média por uma semana ( 2 a 14 dias), semelhante a uma queda ou uma injeção oleosa. Não fica cicatriz, apenas a marca de 3 a 5 furos de agulhas. É importante destacar que não é uma cirurgia, ou seja, não há corte, nem pontos. O doador fica em observação por um dia e pode retornar para sua casa no dia seguinte.
Coleta do osso da bacia
2) A coleta pela veia é realizada pela máquina de aférese. O doador recebe um medicamento por 5 dias que estimula a multiplicação das células- mãe. Essas células migram da medula para as veias e são filtradas. O processo de filtração dura em média 4 horas, até que se obtenha o número adequado de células. O efeito colateral mais frequente deste procedimento é devido ao uso do medicamento ,que em alguns doadores pode dar dor no corpo, como uma gripe.
Coleta das células progenitoras estimuladas pela máquina de aférese

O médico vai informar sobre qual a melhor forma de coleta de células. Dependendo da doença e da fase em que se encontra, o paciente pode se beneficiar mais com uma forma de doação.

O doador por possuir uma medula sadia e bom estado de saúde, reconstituirá o que doou rapidamente e poderá voltar às atividades normais. Em casos especiais e raros, como compatibilidade com outra pessoa, o doador poderá doar novamente a medula óssea.

 

Quais os riscos para o doador?


Os riscos são poucos e relacionados a um procedimento cirúrgico que necessita de anestesia geral, sendo retirada do doador a quantidade de medula óssea necessária (menos de 10%). Esta pequena cirurgia tem duração de aproximadamente 90 minutos e consiste de 4 a 8 punções na região pélvica posterior para aspiração da medula. Dentro de poucas semanas, a medula óssea do doador estará inteiramente recuperada. Uma avaliação pré-operatória detalhada avalia as condições clínicas e cardiovasculares do doador visando a orientar a equipe anestésica envolvida no procedimento operatório.


A ultima resposta era uma das que eu mais tinha duvida, OS RISCOS.

Primeiro por que quando se fala em cirurgia, a gente sabe que sempre tem risco, e quanto a anestesia geral eu já ouvi tanta coisa ruim.

Eu tenho filhos e a gente sempre pensa no pior, e no terror de faltar para os filhos, que dependem completamente de nós. E foi sobre isso que a Claudinha do feito a mão, comentou ontem aqui.

Então fui procurar saber sobre anestesia, neste site dá pra entender bem como é, e que riscos tem.

O riscos de uma anestesia é comparado a uma viagem de avião, tem risco sim, mas são mínimos.

Eu estaria realmente disposta a correr este riscos, por alguém que nem conheço ?

Sinceramente, eu não sei, apenas me lembro do que Jesus fez por mim, ele se deu por minha vida e nem ao menos me conhecia.

Sei que estou com muita vontade de poder ajudar alguém, que eu não conheça talvez, me lembro da Aline Coelho, e de tantos outros exemplos, lembro do filme Uma Prova de Amor, e imagino o que uma mãe sofre de ver seu filho adoecer, sou mãe e se meus filhos machucam um dedinho, meu coração doí.E se um de meus filhos precisasse de um transplante ?

Acho que Deus nos deu a medula, que de uma pessoas saldável se regenera em 15 dia, justamente para podermos ajudar os outros.

Lembra: O maior mandamento é Amar ao Próximo como a Ti mesmo.

Sim que vale a pena, poder dar esperança para alguém.

Espero que tenha tirado algumas duvidas, e vamos fazer a diferença na vida de alguém.

Se você já doou medula ou conhece alguém que já doou.

Deixe seu comentário e nos conte como foi essa experiência, isso com certeza vai ajudar a tomarmos a decisão certa.

Um Sábado Tremendamente Abençoado e de muita Paz a todos.

Beijocas

7 comentários:

Luciana Klopper disse...

tem selinho pra vc no meu blog

Anônimo disse...

Olá...
Minha sogra é doadora, ela me disse que pensou durante 5 anos antes de se decidir. A mãe dela já passou por maus momentos com doença, mas graças a Deus não chegou a precisar de transplante. Ela agora já é cadastrada e há qualquer momento pode ser chamada. eu acho nobre demais essa atitude.
Tenho um amigo que tem câncer, e ele fez um transplante da própria medula dele, inovador, não?Mas infelizmente não deu certo =(
Pode ser que ele precise de doador diferente agora, então, fico feliz demais como vejo pessoas, como você, que pensam no assunto.
Beijinhos!

Danielle Luciano disse...

Olá...
Minha sogra é doadora, ela me disse que pensou durante 5 anos antes de se decidir. A mãe dela já passou por maus momentos com doença, mas graças a Deus não chegou a precisar de transplante. Ela agora já é cadastrada e há qualquer momento pode ser chamada. eu acho nobre demais essa atitude.
Tenho um amigo que tem câncer, e ele fez um transplante da própria medula dele, inovador, não?Mas infelizmente não deu certo =(
Pode ser que ele precise de doador diferente agora, então, fico feliz demais como vejo pessoas, como você, que pensam no assunto.
Beijinhos!

Fernanda de Oliveira disse...

Oi Pam, vc acredita que somente hoje estou conseguindo ler direito os comentários do post do aniversário da minha filha e tô tentando retribuir cada um. Essa rifa está realmente super tomando o meu tempo, mas já está acabando e logo as coisas voltam ao normal.

Obrigada pelas palavras la no blog, vc é uma fofa e tem razão, não é fácil ver nossos filhos crescer tão rápido e depois bater asas e voar, mas faz parte da vida e é realmente uma delícia ver e fazer parte desse crescimento, ver como eles vão ficando e sentir orgulho do que está vendo... definitivamente, vale a pena!

Tô te seguindo e linkando seu blog tá, quero acompanhar de pertinho todas as novidades.

Beijoca =)

Tri disse...

Pam,
não podia vir aqui e não comentar este post. Informativo e maduro!
Não eu nunca doei e não conheço alguém que tenha doado. Mas essa questão me incomoda, pois ainda tenho a falta de coragem de ser doadora. Certa vez vi um programa na tv (aqueles de reconstrução de casa, na tv acabo) aonde uma família que recebeu a medula para a filhinha de 4 anos resolveu presentear a família de quem doou (foi a mãe que também tinha uma filha pequena) e incrível como a família que doou a medúla realmente precisava dessa ajuda. Chorei tanto, por me sentir impotente e medrosa de não tomar uma atitude de doar. Ainda não criei coragem, mas o fato de não ser doadora me incomoda, talves com o tempo e "recadinhos" assim como o seu me ajudem a tomar coragem! beijo beijo
Tri

Anônimo disse...

Good post and this mail helped me alot in my college assignement. Thanks you as your information.

Anônimo disse...

Just want to say what a great blog you got here!
I've been around for quite a lot of time, but finally decided to show my appreciation of your work!

Thumbs up, and keep it going!

Cheers
Christian, iwspo.net